Renault 5 Gt Turbo 120cv


Se pudéssemos definir o Renault 5 Gt numa palavra serias: Turbosedução
Muitos foram o que o exprimetaram e deitaram uma ou outra gota de urina sem querer, mas todos aqueles que adoram carros deviam exprimentar este carro pelo menos uma vez na vida.
A versão que hoje lhe apresentamos é o Renault 5 Gt turbo 120cv, sendo que existiu outra de 115cv anteriormente.


Bendito Turbo
Este menino francês foi lançado numa altura em que se falava muito em turbos. Ainda havia os que preferiam altas cilindradas. Mas quem se habituava ao turbo não queria outra coisa e este 5 Gt que o diga, com umas prestações absolutamente excepcionais e com um preço muito competitivo.
Qualquer pessoas que experimentasse o Gt Turbo, iria ter que reparar em duas coisas no comportamento e suavidade da entrega da potencia. Em espanha era apeliado de "Besta Roja" devido á sua cor vermelha, que era a mais escolhida.
Uma curiosidade era que em alguns paises algumas seguradoras, detestavam o Renault 5 Gt turbo devido á quantidade de acidentes, infelizmente muitos foram os que faleceram ao volante deste automóvel.


Desde o seu nascimento o Renault 5 esteve sempre ligado á competição, servindo de base a formulas de promoção, em rallys. O Renault 5 ao longo dos anos, foi sempre levando actualizações, principalmente a nível de mecânica e suspensão. Todas as marcas da altura estavam a criar maquinas polivalentes que andassem muito sem reparar muito para a segurança e a Renault viu-se obrigada a fazer o mesmo.

A VW lançava o Golf Gti o que foi um sucesso e deixou as outras marcas todas de boca aberta, a Peugeot lançava o 205 gti e dava cartas no Rally, a Opel mais escondida mas demonstrava potencialidade com o Gsi. E a Renault fez assim um carro um bocado á pressa, sendo que inicialmente saia com alguns defeitos, travões que causavam fadiga ao fim de algum tempo, mais tarde foram lançadas umas jantes pensadas para refrigerar os discos, levando também pequenas afinações no seu turbocompressor Garret T2, de modo a trabalhar de mais eficazmente, trabalhando logo desde cedo, fazendo o Gt Turbo de 120 cv ser mais elástico e civilizado que antiga versão.

A versão de 120 cv amadureceu, mais fácil de conduzir e com melhoramento de pequenos pormenores que faziam dele ligeiramente mais seguro, como o caso da suspensão que agora não "se deitava tanto" como anteriormente acontecia. A traseira continuava a deslizar ligeiramente mas a sub-viragem já não era tão fácil acontecer. A direcção continuava rápida e precisa, o volante grosso com bom tacto combinada com um bom posto de condução. Os pedais estavam bem posicionados, com facilidade fazer a técnica ponta-tacão. O quadro de instrumentos era basicamente o mesmo da versão anterior, com manómetros do turbo, óleo, termómetro de agua etc.



Na prática o novo GT turbo de 120 cavalos, era mais eficiente em todas as rotações e ainda continha a  força e garra que o caracterizava. O conta rotações subia muito rápido, fazendo dele um carro especial para todo o tipo de estradas. Capaz de rivalizar com carros com mais potência e o dobro do preço. Um autêntico foguete que devorava quilómetros de estrada, oferecendo sempre um prazer de condução notável.
Esta versão de 120 cv foi também melhorada a pensar na fiabilidade do seu moto Sierra 1.297 cc, equipado com turbocompressor, que se via obrigado a trabalhar a temperaturas muito altas, que por vezes quando muito puxado perdia rendimento. Esse aspecto foi melhorado, o que o carro agradeceu, principalmente quando era puxado em condições de limites de exigência.




O Gt turbo era um carro perigoso?
Antes de respondermos a isso, devemos lembrar que o Renault 5 era até um carro "barato" em comparação com outros desportivos, andava para lá dos 200km/h, ora sendo barato era muitas vezes adquirido por jovens como primeiro carro, dai o facto de ter havido tantas mortes ao volante desta "besta", até porque o carro em sí não era de todo inseguro. Por exemplo os BMW da haltura eram considerados mais inseguros do que o Renault 5 Gt, devido ao facto de terem tracção atrás e no entanto não morria tanta gente de BMW, pois quem compra BMW eram pessoas na sua maioria mais maduras, já com alguma experiência.


Qualidades:
- Relação preço/prestações
- Direcção Rápida e precisa
- Estética

Defeitos:
- Assentos sem apoio lombar
- Arranque difícil quando quente.


Motor:
- 4 cilindros em linha, dianteiro, transversal.
- 1397 cc
- Alimentação: carburador vertical Solex 32 BIS, Turbo compressor Garret T2, Bomba eléctrica
- Potencia Max: 120cv ás 5750rpm

Prestações:
- Velocidade max: 203 Km/h
- 7, 59 segundos dos 0 aos 100.

Consumos:
8,3 - a 110km/h
11,0 - 160km/h
Consumo médio: 9,8 litros.

O Renault 5 Gt Turbo será sempre lembrado, como um carro entusiasta para entusiastas da da condução desportiva e sensações fortes.

F.Gomez Blanco
Automovil
Tradução: Ricardo Ramos

1 comentário:

  1. Em 1986 vendi um Peugeot 205 GTI 1.6, para comprar um destes depois de andar num 5 GT Turbo de um amigo que lhe tinha montado uma torneirinha que aumentava a potencia que o turbo gerava.
    Embora o carro fosse mais rápido que o meu anterior 205, em termos de chassi não se compara nem na travagem ficando alguns furos abaixo.
    Hoje passados mais de 25 anos sobre esta troca, voltei a adquirir um 205 GTI e estou muito satisfeito com o prazer de condução que obtenho desta máquina com 28 anos e 165.000 kmts, quanto ao Renault vendi-o com 12.000 kmts depois de alguns sustos e sobretudo registar consumos por vezes que ultrapassavam os 15l/100 Kmts.

    ResponderEliminar

Obrigado por comentar. O seu comentário é muito útil e importante para que este blog seja actualizado. Porém existe algumas coisas que devem ser bem claras para os comentários:

-Não use palavras de baixo calão
-Os comentários são moderados, portanto seja educado com os comentários.
-Comentários com perguntas serão respondidas nos comentários no blog.
- Por favor não plagie, caso precise de retirar informação deste blog, não se esqueça de colocar a fonte.